abril 16, 2011

Não há euforia
no trabalho da arte
apenas uma longa
paciência.
Mas a vida é breve
como muito bem sabem
os que têm mais de
vinte anos.
E não vale a pena
descer ao inferno
nas imagens nos sons
nas substâncias
para apressar o negro
o branco e o vermelho.

abril 13, 2011

Ah! o equilíbrio correcto
das rectas o redondo
repouso das elipses
e das hipérboles e
em geral das formas puras
que realizam a matéria
no olhar mas não resolvem
o real, querias! Pródigos
que as simetrias mais
amais que a vida, esta
que contém o que há
para amar: Deus
vos seja avaro em júbilo
e perdulário em penas.

abril 12, 2011

Um mendigo

Dos dias aguçados
que se perdem dentro
destas palavras-letras
os açoites são
não para ostentar
mas para mostrar
como quem abre
cuidadosamente
a camisa e aponta
a chaga no peito
não cicatrizada
e espera que lhe digam
está quase curada
não te preocupes.